ESCOLA MUNICIPAL PRIMÁRIO ERPÍDIO CABRAL DE SOUZA – Índio da Maré

//ESCOLA MUNICIPAL PRIMÁRIO ERPÍDIO CABRAL DE SOUZA – Índio da Maré

ESCOLA MUNICIPAL PRIMÁRIO ERPÍDIO CABRAL DE SOUZA – Índio da Maré

Por Túlio Ferreira Fialho (IP – UFRJ)

Você conhece a Escola Municipal Erpídio Cabral de Souza? A escola ainda é muito recente e foi fundada no ano de 2016. Localizada na Rua Evanildo Alves (Bonsucesso-Maré). É uma instituição pertencente ao complexo de favelas da Maré, entre as comunidades Nova Holanda e Baixa do Sapateiro. A área na qual a escola se localiza é chamada oficialmente de “Campus da Maré”, onde outras escolas também estão situadas e foram inauguradas nesse mesmo período. A construção da Erpídio e das outras escolas ocorreu entre os períodos da Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos (2014-2016), ou seja, épocas nas quais foram geradas verbas para a construção desse complexo.

Para falar desta escola, nós vamos nos basear na leitura da tese de SOUZA, Adelaide Rezende de. O brincar na favela da Maré: jogo de vida e resistência em território conflagrado. Tese (Doutorado em Psicologia) – Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, p.138. Disponível em http://objdig.ufrj.br/30/teses/882110.pdf

Por ser ainda uma construção muito recente, a EM Erpídio Cabral de Souza é reconhecida como um local provido de uma ótima infraestrutura, especialmente se comparada a outras escolas públicas do município. A instituição conta com quadra de esportes coberta, biblioteca, sala de leitura, sala multiuso, refeitório, auditório e jardim externo.

Além da verba municipal destinada à manutenção da escola, ela recebeu, até o período de 2020, uma verba do Governo Federal relativa ao Programa de Dinheiro Direto na Escola, que tinha o objetivo de prestar assistência financeira às escolas para a melhoria da infraestrutura física e pedagógica. A gerência dessa verba se deu por meio de um orçamento participativo que é composto por um conselho da comunidade, incluindo assim a diretora da escola, alguns servidores municipais eleitos e alguns alunos e pais de alunos. Ou seja, os recursos da escola são pensados de forma coletiva e democrática, de acordo com as prioridades entendidas pela comunidade escolar.

A importância da EM Erpídio Cabral de Souzapara os moradores da Ma

Você já parou para pensar qual o lugar de importância e de significados que as escolas podem ocupar e produzir no cotidiano dos sujeitos que nela estão inseridos? A EM Erpídio Cabral de Souza, por exemplo, ocupa um lugar central na dinâmica de muitas famílias do território da Maré. Quer entender melhor por que? Então vamos lá!

Em 2019, a instituição oferecia educação integral às crianças do ensino fundamental I, no horário de 8 às 15 horas, com mais de 200 alunos . Além disso, em 2018, a escola abriu as primeiras vagas para o Programa de Educação de Jovens e Adultos (PEJA), no período da manhã, sendo dividido em ensino fundamental I, ensino fundamental II e classes de alfabetização.

Com a implantação do PEJA na escola, muitos outros membros das famílias das crianças puderam retornar com os estudos. Em alguns casos, existem três gerações da mesma família frequentando a escola. Trata-se da única instituição escolar de todo o Complexo da Maré que oferece o PEJA no horário diurno. Esse horário facilita muitas mães jovens, que levam os filhos para a escola na parte da manhã e aproveitam para frequentarem as aulas em outras turmas. Além disso, muitos rapazes, que trabalham no período da tarde ou noturno, se valem do horário matutino para estudarem na escola.

Situada em um território conflagrado pela constante violência armada e policial, além de uma realidade social marcada pela desigualdade, a EM Erpídio Cabral de Souza se apresenta enquanto lugar de transformações. O PEJA, por exemplo, favorece a reintegração de jovens e adultos no espaço escolar, aumentando suas expectativas de melhoria de vida, através de uma inserção com mais qualidade no mercado de trabalho. Um outro ponto a ser destacado é o espaço da escola enquanto um lugar de refúgio aos moradores da região, que a utilizam como ambiente de socialização.

No proximo post, vou falar sobre a violencia que assola a região e interfere no funcionamento da escola.

By | 2021-07-30T17:32:37-03:00 julho 30th, 2021|a escola na cidade|0 Comments

About the Author:

Leave A Comment